top of page
Buscar
  • Markus Lothar Fourier

Como saber se preciso de terapia?

Oi gente, bom, acho que uma coisa que muita gente se pergunta é: como é que eu sei se eu preciso de terapia? Como é que eu sei se o que eu tô passando é normal ou não é normal? E aí, eu deveria buscar ajuda.


Bom, primeiro, você não precisa estar mal para buscar terapia. Terapia é um processo que serve para todo momento da sua vida, porque sempre é possível a gente melhorar a capacidade de perceber o mundo à nossa volta. Isso sempre nos beneficia, mesmo que você não esteja passando por uma angústia muito grande, ou que você não esteja sentindo nenhuma angústia. Pode ser algo muito interessante para você. Mas vamos tentar responder essa pergunta através de uma perspectiva que para mim sempre ajudou a organizar as coisas.


Existe o que a gente chama de um tripé de avaliação, para que a gente possa tentar separar o que talvez esteja dentro da experiência normal de estar vivo, uma tristeza normal do que é uma tristeza que já talvez não esteja tão normal assim, né? Então vamos lá. Esse tripé é composto então pela primeira perna, que a gente pode chamar de frequência. Então, é assim: sentir tristeza é normal, é da vida, mas com que frequência você vem se sentindo triste? É todo dia ou é uma vez por mês? Isso é uma vez por dia? Durante quanto tempo isso vem acontecendo?


A segunda dimensão que a gente usa para pensar é a intensidade. Sentir tristeza, sentir raiva, sentir medo, sentir o que for, tá tudo aí dentro do que é chamado vida. Mas com que intensidade você sente isso? É muita tristeza? Muita ansiedade? Muito medo? Muita raiva?


E a terceira dimensão é a dimensão do prejuízo. Qual é o prejuízo que isso tá trazendo para tua vida? Esse sentimento tá te impedindo de fazer coisas que você gostaria? Tá te impedindo de estabelecer relações de uma forma construtiva, sustentável, de uma forma que você deseja?


Então é isso que a gente considera, assim, como esse pensamento muito clássico e básico, mas mais clássico. Ele sempre ajuda a organizar e talvez aí que faça algum sentido o que você tá passando. Tá passando com que frequência? Com que intensidade? E qual o prejuízo que isso vai te trazendo? Alguns casos a gente tem testes, espécie de réguas para poder mensurar isso, mas aí para você que tá assistindo, eu acho que é uma avaliação mais subjetiva. E se você entender que dentro de uma dessas dimensões, você tá com muita frequência, muita intensidade, ou um prejuízo muito grande, mesmo que seja só uma dessas, eu sempre digo: na dúvida, procura uma ajuda. Vai conversar com um profissional de saúde, com psicólogo, uma psicóloga. Mal não vai fazer, né? Pior de hipóteses, você vai chegar lá, vai ter uma sessão


Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page